Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Jose Paulo
No comando: BOM DIA CIDADE

Das 5:00 as 8:00

DIVINO AUGUSTO
No comando: LIGUE SUCESSO

Das 9:00 as 11:30

zona-livre
No comando: ZONA LIVRE

Das 12:00 as 16:00

No comando: JORNAL DA CIDADE

Das 13:00 as 13:30

Renato DJ
No comando: RADIO SHOW

Das 13:00 as 15:00

OTAVIANO BREDER
No comando: NÓIS NA FITA

Das 16:00 as 18:00

manifestação contra a reforma da previdência,em Simonésia nesta segunda feira 10/04/2017

Compartilhe:
Simonésia manifestação

Com os gritos de fora temer  , teve inicio hoje na cidade de Simonésia , a manisfestação

Contra a reforma da previdência .

 hoje pela manha a cidade Simonésia parou para ouvir professores , alunos e políticos contrários a reforma da previdência  .com centenas de pessoas , diversos grupos da sociedade de Simonésia vieram as ruas para protestar contra os que os mesmos estão chamando de golpe contra os trabalhadores , com discursos e palavras de ordem professores e alunos  concentram no centro da cidade contra a PEC 287 que altera artigos da constituição brasileira Altera os arts. 37, 40, 109, 149, 167, 195, 201 e 203 da Constituição, para dispor sobre a seguridade social, estabelece regras de transição e dá outras providências e tenta revogar direitos dos trabalhadores . se aprovada a PEC 287 muda a idade mínima para aposentadoria .

dscn0365

idade mínima de 65 anos para a aposentadoria para homens e mulheres, desconsiderando critérios contributivos e atuariais, bem como a expectativa de vida do povo mais pobre que dificilmente obterá a aposentadoria, além de negligenciar a necessidade de um tratamento diferenciado às mulheres, ainda submetidas a uma dupla jornada de trabalho.

exigência de contribuição por 49 anos para obtenção da aposentadoria integral, o que, com base nas alíquotas atuais, não tem nada de atuarial, máxime quando consideramos a obrigatoriedade de o empregador contribuir, pelo menos, na mesma proporção, para o regime.

redução do valor geral das aposentadorias, sem consideração com os montantes de contribuição;

fragilização da aposentadoria dos trabalhadores rurais, em gravíssimo retrocesso às conquistas da Constituição de 1988;

extinção da aposentadoria especial para os professores, desconsiderando a sua jornada doméstica de preparação de aulas e correção de provas;

afastamento das regras de transição vigentes, em flagrante violação da segurança jurídica e da proteção à confiança legítima;

fixação de parâmetros de difícil atingimento para a aposentadoria dos trabalhadores expostos a condições insalubres;

vedação de acumulação de pensão por morte com aposentadoria, reduzindo a renda familiar dos cônjuges viúvos, sem qualquer lastro atuarial;

fixação de pensão por morte e outros benefícios em patamar abaixo do salário mínimo;

elevação da idade de recebimento do benefício da assistência social para 70 anos, muito acima da expectativa de vida do povo mais pobre.

Diante do quadro posto, cumpre, em primeiro lugar, destacar o caráter injusto das propostas que penalizam os setores mais frágeis da sociedade, pondo a termo várias conquistas de décadas do trabalhador brasileiro. Por outro lado, o caráter mais gravoso desse regime, mesmo considerando as regras que o mercado privado oferece, não deixa de se traduzir em um grande estímulo ao fortalecimento do regime de previdência complementar com o esvaziamento do sistema público.

OtavianoBreder/rádiocidadefm

Deixe seu comentário: